Metodologia Científica: O que é, Classificações e Como Fazer

por | 24/11/2021 | 0 Comentários

Quando se faz uma graduação de ensino superior, independente de qual é o foco do curso, é muito comum se deparar com cadeiras voltadas para a metodologia científica.

Embora seja frequente no ambiente acadêmico, isso não significa que os alunos não tenham dificuldade de entender como ela funciona e para que ela serve. Há pessoas que gostam bastante, mas também há pessoas que têm dor de cabeça com esse assunto.

Como o nome sugere, ela está bastante relacionada com o fazer científico, envolvendo tanto artigos científicos quanto dissertações de pós-doutorado.

Se você tem dúvidas sobre esse assunto e quer entender mais sobre o assunto de pesquisa científica, está no artigo ideal.

Aqui vamos, além de  apresentar o conceito de metodologia científica, explorar sua importância para a sociedade, esclarecer quais são os tipos de classificações e oferecer algumas dicas para a sua elaboração. Boa leitura!

Leia também sobre profissões do futuro: confira quais são e as principais habilidades!

O que é uma metodologia científica?

Em primeiro lugar, vamos falar sobre o que significa a metodologia científica.

Ela se define como um conjunto de métodos utilizados, de forma organizada e orientada, para realizar uma pesquisa científica dentro de um trabalho acadêmico.

Ou seja, é a partir da metodologia científica que será possível realizar a investigação de um fenômeno de interesse.

Em suma, a metodologia científica permite que o pesquisador escolha e explore um certo objeto de estudo. A partir disso, ele será detalhá-lo, analisado ou explicado a partir de uma nova abordagem, sempre em diálogo com outros estudos já feitos.

Enquanto disciplina, ainda, ela será responsável por mostrar ao estudante os caminhos necessários para racionalizar o conhecimento que se deseja adquirir a partir de uma pesquisa científica.

Importância de desenvolver a metodologia científica

Como falamos, no mundo acadêmico, os processos de pesquisa e descoberta de novo conhecimento sempre passam pelos métodos científicos ou metodologias científicas.

A importância de desenvolver a metodologia científica se dá, em primeiro lugar, pois é ela que oferece o rigor científico da sua pesquisa e a possibilidade de construção de um conhecimento válido.

É também uma disciplina essencial na faculdade tanto para a finalização do curso como para a extensão da carreira acadêmica.

Com ela, o estudante vai aprender a estruturar e executar trabalhos acadêmicos durante o curso de graduação, bem como o desenvolvimento de mestrados e doutorados. Ou seja, ela é uma etapa fundamental para introduzir o aluno ao conhecimento científico e acadêmico.

Além disso, a metodologia científica também se faz muito importante à medida que oferece avanços e descobertas.

É nessa disciplina que os estudantes podem investir em temas relacionados e relevantes ao curso que ele faz. Ela pode servir para trazer luz a assuntos que ainda faltam entendimento científico sobre.

Uma das aplicações mais práticas da metodologia científica são nas descobertas na medicina, como a cura de doenças, que são feitas a partir de embasamento teóricos, testes e uma metodologia, de fato, científica.

Quais são as classificações teóricas da metodologia científica?

classificações metodologia científica

Agora que você já entendeu a importância da metodologia científica para a construção da ciência, está na hora de falarmos um pouco mais sobre como ela é feita na prática.

Para executá-la, é preciso limitar estratégias quanto à abordagem, a natureza e os objetivos da pesquisa. Por isso, ela se divide em classificações teóricas com subtipos. Vamos falar um pouco mais sobre eles.

Quanto à abordagem

Em primeiro lugar, a metodologia científica se classifica a partir da sua abordagem principal, ou seja, a partir do caminho mais adequado para estudar o objeto de estudo escolhido e os dados coletados.

A abordagem, por sua vez, pode ser tanto qualitativa, como quantitativa e quali-quantitativa.

Qualitativa

A abordagem qualitativa analisa os fenômenos e os emprega significados de forma que não é viável de forma quantitativa, ou seja, os dados não podem ser interpretados quantitativamente.

Esse tipo de abordagem dá um caráter mais subjetivo ao estudo, de modo a estimular o pesquisador a trabalhar questões e nuances a partir de relações que ele é capaz de fazer durante o estudo, sempre de forma direta.

A pesquisa qualitativa se faz muito comum nas ciências humanas que, muitas vezes, não trabalham com números e cálculos.

Quantitativa

Já a  pesquisa quantitativa, por outro lado, analisa de forma quantificada os dados coletados, ou seja, vai analisar os fenômenos a partir do que se consegue traduzir dos dados numéricos.

Nesses casos, a observação vai ser feita em cima de porcentagens, gráficos e tabelas relacionais. É o tipo de abordagem que apura também questionários, avaliando opiniões explícitas dos entrevistados.

De forma contrária à qualitativa, é um tipo de caminho mais utilizado para cursos que fazem parte das ciências exatas.

Quali-quantitativas

Por fim, a abordagem quali-quantitativa, como o nome sugere, é o tipo que mescla as duas formas de analisar os dados. Desse modo, ela combina elementos da pesquisa qualitativa e da pesquisa quantitativa.

Esse tipo de caminho misto costuma fazer primeiro a análise quantitativa e, a partir disso, fazer uma análise qualitativa em cima dela.

Quanto à natureza

O segundo tipo de classificação que podemos fazer é em relação à natureza da metodologia. Ela diz respeito à contribuição que as conclusões oferecem à ciência, podendo ser tanto básica como aplicada.

Básica

O tipo de natureza básica é aquela pesquisa que procura oferecer novos conhecimentos para que a ciência avance, no entanto, não prioriza a aplicação prática deles.

Esse formato também mostra que a contribuição não tem impactos imediatos, mas vai fazer parte de um conjunto de descobertas que podem ter valor futuro.

As pesquisas básicas, por fim, também envolvem tipos de estudos que envolvem valores e verdades universais.

Aplicada

O outro tipo de natureza da pesquisa é a aplicada. Assim como a básica, o seu propósito é

gerar novos conhecimentos. No entanto, o objetivo dela é fazer uso desses conhecimentos para solucionar problemas específicos.

Por isso, se dá o nome de aplicada, afinal, ela tem uma aplicação prática da pesquisa. A pesquisa aplicada costuma envolver interesses específicos de um lugar.

Quanto aos objetivos

objetivos metodologia científica

Por último, a metodologia científica também pode se subdividir a partir dos seus objetivos, isso é, o propósito final da pesquisa. Os objetivos podem ser descritivos, exploratórios ou explicativos.

Descritiva

O tipo de objetivo descritivo, como o próprio nome sugere, é utilizar a metodologia para descrever um fenômeno relativo ao objetivo de estudo e todas as relações que ele pode proporcionar com variáveis.

Na prática, esse tipo de pesquisa costuma servir para levantamento e o registro documental de características do que se estuda. Um exemplo de pesquisa descritiva é a distribuição por faixa etária de determinado grupo de consumidores de um produto.

É nesse tipo de objetivo que se faz mais frequente a coleta de dados de forma padronizada, como é o caso de questionários e observações sistematizadas.

Exploratória

O segundo tipo de pesquisa científica em relação ao objetivo é a exploratória. Nesse tipo, o foco será em, de fato, explorar o tema em fase preliminar e para que, assim, se desenvolva uma maior familiaridade sobre ele.

Esse tipo de pesquisa acontece quando o tema ainda é pouco estudado e se tem poucas informações disponíveis reunidas, no entanto, ao mesmo tempo, há um entendimento que ele pode ser foco de pesquisas futuras.

Devido a falta de dados sobre o assunto, é um tipo de pesquisa mais complexa, ou seja, demanda mais esforço do pesquisador.

Os tipos de procedimentos técnicos que utilizem o objetivo exploratório mais comum, e que iremos abordar mais a frente, são a pesquisa bibliográfica e o estudo de caso.

Explicativa

O último tipo de objetivo de uma pesquisa científica que existe é o formato explicativo, sendo esse o mais complexo entre eles. O objetivo dela, portanto, é identificar e explicar fatores que contribuem para a ocorrência de um certo fenômeno.

E como busca explicar cientificamente um fenômeno da realidade, ela demanda um nível de aprofundamento muito maior que a exploratória e a descritiva.

No entanto, para ser elaborada, usa como base estudos anteriores que envolvem também esses tipos de pesquisas.

O exemplo prático das pesquisas explicativas são nas dissertações de mestrado e em teses de doutorado, os tipos de pesquisas mais profundas do meio acadêmico.

Quais são os procedimentos técnicos de uma metodologia científica?

Além da natureza, dos objetivos e da abordagem, que falamos anteriormente, a metodologia científica também se define a partir dos procedimentos técnicos. Existem vários tipos, os quais iremos abordar neste tópico.

Pesquisa bibliográfica

Um dos tipos de procedimento técnico mais conhecido, sem dúvidas, é a pesquisa bibliográfica, com caráter exploratório.

Ela usa como fonte de estudo outras pesquisas e materiais feitos sobre o tema, como é o caso de livros e artigos científicos. O objetivo é uma ampla cobertura do fenômeno.

Estudo de caso

O segundo tipo de procedimento técnico é o estudo de caso que, assim como a pesquisa bibliográfica, é uma modalidade exploratória. Nesse formato, se escolhe uma situação real para analisar um aspecto prático de forma mais profunda.

Ao mesmo tempo, o estudo de caso preserva o caráter unitário do objeto que se estuda. Com isso, é possível mapear a situação contextual relativa à investigação e, assim, formular hipóteses e teorias sobre o assunto.

Pesquisa experimental

metodologia pesquisa experimental

A pesquisa experimental é o tipo de procedimento que delimita um objeto de estudo a partir da seleção de variáveis que seriam capazes de influenciá-lo. Dessa forma, se define  formas de controle e de observação que a variável vai oferecer ao objeto.

Esse tipo é muito comum em experimentos feitos em laboratórios, que vão oferecer resultados a partir do controle de toda a situação pelo pesquisador.

Com isso, as situações podem ser simuladas e comparadas para, que assim, seja possível traçar uma conclusão sobre elas.

Estudo de corte

O formato de estudo de corte é o tipo de procedimento que vai se referir a um grupo de pessoas com traços semelhantes para que sejam analisadas durante um determinado tempo, sendo uma amostra. O objetivo é entender o que acontece com elas.

É comum esse tipo de aplicação para a comparação de grupos, como, por exemplo, em casos de grupo exposto a determinado fator e um outro grupo que não foi exposto pelo mesmo.

Pesquisa documental

A  pesquisa documental é um tipo de pesquisa parecida com a pesquisa bibliográfica, no entanto, se difere em relação às fontes usadas.

No caso da documental, as fontes são documentos, como, por exemplo, cartas, diários, regulamentos e ofícios.

Levantamento

O procedimento de levantamento é o tipo de pesquisa que foca no questionamento com pessoas relevantes para a pesquisa de forma direta. Ou seja, a partir disso, serão coletadas informações para serem analisadas.

A partir do levantamento feito com as pessoas que participam de um grupo pesquisado, será feito um censo. Essa técnica é comum em pesquisas descritivas.

Pesquisa Ex-Post Facto

Por fim, o último tipo de procedimento que vamos exemplificar aqui é a pesquisa ex-post facto, ou seja, “a partir de um fato passado”.

Ela se dá após os fatos consolidados, com o foco em verificar a existência de relações entre as variáveis, entendendo como um fato passado impacta no presente e no futuro. Nesse tipo de pesquisa, não é possível ter controle sobre a situação, pois ela já está dada.

Quais são os tipos de métodos científicos usados?

Ainda falando sobre metodologia científica, existem alguns tipos de métodos usados que precisamos falar.

São eles o método dedutivo, método indutivo, método tipológico, o método histórico e o método comparativo.

Método dedutivo

Essa metodologia parte do todo para a parte, ou seja, começa de dados gerais para inferir conclusões sobre casos específicos.

Método indutivo

Já a metodologia indutiva faz o caminho contrário: parte do particular para o geral, se baseando em experiências específicas. São elas que vão fornecer conclusões gerais sobre um fenômeno.

Método tipológico

O método tipológico é aquele que se faz necessário criar um tipo ou modelo para estudar determinado objeto de estudo.

Método histórico

O histórico, por sua vez, como o nome sugere, é o método que se debruça em investigar acontecimentos históricos, isto é, do passado, para entender os efeitos que eles têm atualmente.

Método comparativo

Por fim, o método comparativo é o que faz o processo de comparação entre fenômenos, analisando as convergências e divergências entre eles.

Como fazer uma metodologia científica? Confira algumas dicas

Você ainda pode estar se perguntando: como fazer, então, uma boa metodologia científica? Elencando todos os aspectos que trabalhamos ao longo desse texto, podemos falar alguns dos tópicos mais importantes nesse processo. São eles, portanto:

  • Identificar de forma clara qual é o objeto de estudo que será analisado;
  • Delimitar o objetivo da pesquisa, a partir das possibilidades dadas;
  • Classificar a pesquisa quanto à natureza e a sua abordagem;
  • Definir qual será o método científico de pesquisa mais adequado;
  • Entender quais são os procedimentos técnicos que a metodologia vai usar;
  • Pesquisar e organizar bem todas as fontes que serão utilizadas durante o processo.

Veja como o E aí Amigo pode te auxiliar

E se você está precisando se aprofundar ainda sobre metodologia científica, a gente pode te ajudar. O E Aí Amigo é uma plataforma de estudos online que oferece resoluções de exercícios dos mais diversos temas.

Nós oferecemos suporte de dúvidas de pessoas que estejam cursando metodologia científica em diferentes cursos. Acesse exercícios resolvidos sobre isso e se aprofunde no tema!

Amigo de verdade é quem facilita a nossa vida! Conheça o E aí Amigo!

Conclusão

Como falamos durante o texto, a metodologia científica nada mais é do que uma forma de organização que permite pesquisar e investigar um tema de forma sistemática e mais profunda.

É a partir dela que se pode construir novos conhecimentos e relações entre os fenômenos. Para quem procura carreira acadêmica, se aprofundar no entendimento sobre pesquisas científicas é essencial!

0
0